Georgia Noronha - jornalista

Em alguns meios, como no empresarial por exemplo, o “EU” é algo forte no discurso de muitos profissionais.

A autovalorização é necessária. No entanto, se é extrema, pode se tornar excessiva, criando um aspecto antipático, autoritário e presunçoso, deixando de ser tão atraente.

Achar que o seu serviço ou produto são os melhores do mundo, pode fazer com que você deixe de evoluir. Se seu negócio é “top”, mas você não se relaciona bem, de nada adianta todo o investimento.

Vitimismo - tire essa cara de pobre

Alcance melhores resultados revendo seu modelo mental

Fabio Flores

Quem busca culpados não encontra responsáveis